Comunicado

A Associação Nacional dos Agentes Penitenciários – AGEPEN-BRASIL, entidade de classe de defesa dos direitos e prerrogativas dos agentes penitenciários do país, vem a público externar apoio incondicional e se solidarizar com os AGEPENS Caio Borges Vilela e Wellinton de Lima da Silva, ambos atualmente exercendo suas funções no Instituto de Administração Penitenciária doestado do Acre. Os agentes foram foram abordados em momento de lazer por uma guarnição da polícia militar, conforme se verifica em vídeos divulgados via rede social, e foram injustamente agredidos, um deles inclusive vindo a desmaiar em virtude das agressões, enquanto o outro colega tentava repelir os atos violentos da guarnição. Nota-se claramente que os agentes penitenciários em nenhum momento deram motivo para tal violência, tendo ainda a tranquilidade de não revidar, o que poderia levar a uma tragédia. É de se destacar ainda a atitude do AGEPEN Caio, que em nenhum momento perdeu a calma, agindo como um profissional de segurança pública deve agir, não tendo sequer resistindo a injusta condução à delegacia feita pelos policiais. Na verdade, o instrutor Caio é retratado pelo sindicato da categoria no Acre e por relatos de colegas como profissional exemplar, de alto padrão de treinamento e auto controle, de conduta ilibada, o que ficou demonstrado no fatídico episódio. A AGEPEN-BRASIL vem ainda repudiar de forma veemente a atitude da guarnição da polícia militar, que deveria tratar colegas de farda com mais urbanidade e respeito, prezando pela integração e boa convivência. Sabemos que este tipo de atitude infeliz é isolada e não reflete em nada o que representa esta importantíssima instituição que é a Polícia Militar. Por fim, a AGEPEN-BRASIL afirma o seu compromisso de defesa dos direitos e prerrogativas de todos os agente penitenciários do país, e parabeniza os agentes penitenciários do estado do Acre, servidores públicos que além de garantir o sono da população, nos mostram como deve agir um verdadeiro profissional de segurança pública, através do exemplo do agente Caio.
Cicero “Sarnei” dos Santos. Presidente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *